top of page

5 Desafios da Liderança para 2022

O líder que ignora os desafios é de certa forma ingênuo e um líder frágil, que pode ser desmascarado a qualquer momento.


Bem, sabemos que 2022 ainda será um ano marcado por muitas incertezas, especialmente aqui no Brasil, com um ano de eleições presidenciais e todos os desdobramentos da pandemia que insiste em não ir embora.




De nada adianta torcer pra que tudo isso acabe logo, o ano vai passar independente de qualquer coisa. O problema é que quando o tempo passa, passa com ele também uma parte da sua vida, então o melhor a fazer é se concentrar em melhorar as coisas que estão sob o seu alcance. Faça um ano melhor, afinal de contas, ter autorresponsabilidade é não delegar o que você precisa fazer.


Nesse artigo de hoje eu trouxe 5 tendências que tenho observado e que serão importantíssimas para os líderes esse ano.


1) Reter talentos – Com a oportunidade do trabalho remoto, muitos colaboradores perceberam que poderiam trabalhar em qualquer empresa no Brasil (e no exterior também). Se antes a empresa se preocupava em não perder o seu talento para o concorrente do outro lado da rua, agora a situação é completamente diferente e reter talentos é um grande desafio para 2022.


Nesse período de pandemia, muitos colaboradores reavaliaram os seus valores e começaram a priorizar outras áreas da sua vida além da profissional como família e saúde, o resultado é que segundo uma pesquisa realizada pela Consultoria Kaspersky, mais de metade (53%) da população brasileira deseja mudar de emprego em 2022 devido à pandemia e o principal motivador é manter um equilíbrio entre vida pessoal e profissional (50%).


O líder tem um papel fundamental nas entregas e produtividade do colaborador, além do quê, muita gente também acaba se demitindo do chefe e não da empresa.


A vida acontece dentro e fora do trabalho, então não é a vida que precisa se encaixar no trabalho, mas o trabalho que precisa se encaixar na vida.


2) Liderar equipes remotas – Com o trabalho híbrido e remoto surge também o desafio de liderar remotamente. Esse é um ponto novo para muitos líderes e sem dúvida traz muito desconforto. Geralmente, aquilo que fazemos pela primeira vez vai trazer sempre desconforto. Quando você dirigiu um carro pela primeira vez, você não protagonizou aquelas cenas de filme, dirigindo pela estrada com o vidro aberto, cabelos esvoaçantes, felicidade e sensação de liberdade. A cena deve ter sido bem diferente, mas com o passar do tempo a insegurança e o nervosismo vão desaparecendo. Se você dirige sabe que hoje é tranquilo e flui naturalmente. O líder vai precisar aprender a liderar remotamente, até que a coisa comece a fluir naturalmente.


3) Promover a Diversidade e Inclusão – Não só para cumprir uma agenda de desenvolvimento sustentável, mas já está provado que um ambiente diverso é também mais produtivo e criativo. A questão é que não adianta focar na diversidade e esquecer a inclusão. Os líderes precisam garantir a inclusão, se a empresa é diversa mas esses talentos não se sentem incluídos, a gente está andando em círculos e cometendo o mesmo erro há 30 anos. Se quiser saber mais sobre isso leia esse artigo aqui.


4) Cuidar da Saúde mental dos colaboradores – Por muito tempo as empresas se preocuparam apenas com a saúde física do colaborador. A pandemia também mostrou a necessidade de garantir a saúde mental desse colaborador, à medida que ficou tão evidente os prejuízos em decorrência das doenças mentais. Inclusive, agora em 1 de janeiro de 2022, a síndrome de burnout foi inserida na Classificação Internacional de Doenças (CID) e reconhecida como uma doença ocupacional.


A Síndrome de Burnout que preocupava apenas do ponto de vista da menor produtividade, prejuízos financeiros e perda de talentos, ganhou mais um agravante, o risco jurídico.


5) Promover bem estar e felicidade no trabalho – Muitos de nós aprendeu que precisava trabalhar duro para ter sucesso e então seríamos felizes. O que a ciência da felicidade tem demonstrado é que a felicidade pode ser não só o resultado mas a causa do sucesso.


Colaboradores que experimentam emoções positivas frequentes estão mais satisfeitos com seu trabalho, recebem melhores avaliações dos seus líderes e têm um desempenho melhor no trabalho.


Quer ver uma coisa?


Colaboradores felizes deixam clientes felizes, o contrário eu já não posso garantir.


Se você acha um desafio ter colaboradores felizes eu te digo que existe ciência e método pra isso, você não vai precisar improvisar nem reinventar a roda.


Se você precisa se desenvolver como líder ou desenvolver os líderes da sua organização conheça os meus programas aqui.

Commentaires


Les commentaires ont été désactivés.
bottom of page